quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Romantismo - contexto histórico


Caminhante contemplando o nevoeiro, de Gaspar D. Friederich, sintetiza tanto a solidão cósmica do homem romântico quanto a sua relação intensa com os aspectos mais grandiosos do mundo natural.


A ascensão da burguesia européia é um processo que:

- se inicia com o Mercantilismo, nos séculos XVI e XVII,
- passando pela Revolução Inglesa, de 1688,
- pela Independência Americana, de 1776,
- e atinge seu o momento culminante na Revolução Francesa, de 1789.

Na França sobretudo, a derrocada da aristocracia permite:

- extinção dos privilégios seculares
- fim das barreiras rígidas entre as classes sociais.
- Um novo sentido de vida, baseado na livre iniciativa, exalta a audácia, a competência e os méritos pessoais de cada indivíduo, independentemente de seus títulos e seus antepassados.

A era do Liberalismo está em seu auge e com ela um conjunto notável de mudanças na história do Ocidente.

A liberdade de expressão

O primeiro efeito favorável da vitória burguesa para a literatura reside no artigo onze da Declaração de Direitos do Homem e do Cidadão:

"A livre comunicação dos pensamentos e opiniões é um dos direitos mais preciosos do homem; todo cidadão pode portanto falar, escrever, imprimir livremente."

Nas últimas décadas do século XVIII, o Romantismo já está mais ou menos anunciado:

- obras do filósofo Rousseau, especialmente por sua teoria do "bom selvagem",
- pelo movimento Sturm und Drang, (Tempestade e Ímpeto),constituído, nos anos de 1770, por jovens alemães, que valorizam o folclórico, o nacional e o popular em oposição ao universalismo clássico.

2 comentários:

Anônimo disse...

A mais contexto histórico que poderia ser colocado

terezinha bordignon disse...

Excelente blog. Parabéns!